O QUE FAZER QUANDO O TERMOSTATO NÃO ESTABILIZA A TEMPERATURA?

O QUE FAZER QUANDO O TERMOSTATO NÃO ESTABILIZA A TEMPERATURA?

Existem casos onde, mesmo utilizando um termostato digital, a temperatura de um ambiente ou equipamento não se estabiliza. Em algumas situações a temperatura sai de uma faixa desejada, em outras situações a temperatura ideal nunca é atingida. No texto abaixo você irá descobrir as principais causas desses problemas e também como resolvê-los.

 

Primeiro passo: o posicionamento do sensor

Antes de verificar outras soluções para o seu problema, é importante se atentar ao posicionamento do sensor de temperatura. O sensor não deve ser fixado próximo a resistências elétricas, ventiladores ou saídas de ar, por exemplo. Estes elementos influenciam na temperatura medida pelo sensor e interferem diretamente no controle de temperatura.

 

A temperatura não atinge o valor configurado no termostato

Para esclarecer este problema, vamos utilizar como exemplo uma geladeira. Veja o exemplo abaixo:

Um termostato digital foi instalado em uma geladeira e seu SetPoint (temperatura ideal) foi configurado para -5°C. No entanto, o usuário constatou que mesmo depois de muitas horas a temperatura medida nunca é inferior a -3°C.

Nestes casos o problema costuma ser o dimensionamento do sistema de refrigeração ou aquecimento. No exemplo, a geladeira não possui capacidade de resfriar a temperatura abaixo de -3°C. Por isso, nenhum SetPoint abaixo deste valor será atingido. É importante verificar se seu equipamento está bem dimensionado para trabalhar na temperatura que você precisa.

 

A temperatura ultrapassa o valor configurado no termostato

O oposto da situação anterior também pode ocorrer. Para esclarecer este outro problema, vamos utilizar como exemplo uma chocadeira.

Uma chocadeira possui um termostato que foi configurado com SetPoint de 37,8°C. Quando esta temperatura é atingida, a resistência elétrica é desativada, mas a temperatura continua se elevando. Em algumas ocasiões a chocadeira chega a 38,5°C.

Na maior parte dos casos este problema está relacionado com a inércia térmica. Quando uma resistência elétrica é desativada, por exemplo, ela continua emitindo calor, já que sua superfície está quente. Por essa razão a resistência continua aquecendo o ambiente, mesmo desativada. Quanto maior for a potência da resistência, maior será a inércia térmica. Para corrigir o problema do exemplo acima, o ideal é dimensionar corretamente a resistência elétrica. Uma resistência de menor potência apresentaria uma inércia térmica menor, prejudicando menos o controle de temperatura.

 

A temperatura está variando muito

Muitas podem ser as causas para este problema. Uma resistência elétrica ou um compressor mal dimensionado, por exemplo, podem causar a grande variação térmica. A estrutura da aplicação também pode impedir que a temperatura estabilize, caso hajam saídas de ar ou outros elementos que interfiram na temperatura.

Outra questão importante é a configuração do termostato. Parâmetros como histerese e funções de retardo interferem diretamente no controle de temperatura. Saiba como configurar corretamente o seu aparelho para que a temperatura fique de acordo com o desejado.

Existem aplicações que exigem maior precisão e estabilidade térmica. Nessas situações um termostato on-off pode não ser suficiente e recomenda-se a utilização de controladores PID. Consulte nossa equipe para identificar o termostato ideal para sua aplicação.

 

A Ageon recomenda que a instalação e configuração dos seus produtos seja realizada por um profissional qualificado. Caso possua alguma dúvida, entre em contato com nosso Suporte Técnico pelo telefone (48) 3028-8878.

 Fonte: blog.ageon.com.br